Fluminense tropeça em erros e não aproveita chance de se impor diante do Vasco

Tricolores amargam derrota por 4 a 2 para cruz-maltinos no Niltão




Foto: Lance!



Foto: Lance!

Os vacilos voltaram a rondar o Fluminense no Campeonato Brasileiro. Na derrota por 4 a 2 para o Vasco, a equipe das Laranjeiras acenou que poderia sair de campo vitoriosa com naturalidade. No entanto, hesitações atrapalharam a equipe em um clássico decisivo disputado no Nilton Santos.

No duelo, o Tricolor das Laranjeiras viu jogadores se dedicarem ao máximo em busca do resultado. Porém, erros em jogadas pelo alto culminaram na derrota no clássico.

Os tricolores chegaram a rondar a área adversária com maior precisão. Mas, na primeira investida mais contundente do Vasco, ficou nítido o desentrosamento entre Nino e Marlon. A dupla permitiu a entrada de Praxedes, que subiu livre para aproveitar cruzamento de Rossi.

O Fluminense cercou a área cruz-maltina no decorrer da partida, mas não viu as jogadas sairem com a naturalidade esperada na etapa inicial. Além de Marcelo estar distante da linha de frente, Keno se afobava em alguns momentos e Germán Cano pouco arriscava. As melhores ações vinham dos pés de John Kennedy. Ágil, o atacante se desvencilhava da zaga vascaína e exigia Léo Jardim, além de ter carimbado a trave.

Na volta do intervalo, Barros tornou o Tricolor das Laranjeiras mais ofensivo, ao sacar Marlon e colocar Martinelli. Em menos de um minuto, a equipe parecia entrar nos eixos. Em jogada iniciada pelo jovem, Guga acionou Marcelo e o camisa 12 teve precisão para igualar.

A equipe retomou suas forças e ia conseguindo seu desafogo, mas logo se enrolou e sofreu outro gol em bola aérea, em lance que achou Vegetti.

– Faltou muito mais atitude dos nossos jogadores protegerem o movimento, que era um movimento conhecido, do que propriamente a estrutura. Tomamos um gol no setor que protege muito bem ao longo dos mais de 50 jogos – disse Eduardo Barros em coletiva após o jogo.

Mesmo assim, o Fluminense continuou a mostrar-se impetuoso. Com uma postura ainda mais ofensiva, a equipe rondou os cruz-maltinos, tocando bola, até um lançamento abrir caminho para Guga servir e Lima finalizar.

Gradativamente, os tricolores foram imprensando o Vasco e indicaram que teriam condições de virar a partida. Sem Ganso, Marcelo passou a agir como um articulador de maneira mais incisiva.

– Jogadores técnicos e inteligentes têm de participar muito do jogo. A postura de marcação do Vasco deu margem para isso, para ele atuar mais por dentro – disse.

Porém, por mais que os tricolores tenham se lançado à frente, as ações ofensivas não chegavam a ameaçar com tanta precisão a meta de Léo Jardim. Mais uma vez, John Kennedy oferecia perigo, enquanto Cano pouco surgia.

A situação saiu de controle quando atletas que cresciam em campo começaram a se desnortear. Em meio a um erro de Guga, André recuou mal e deu brecha para Gabriel Pec marcar.

Eduardo Barros recorreu a Daniel, que chegou a trazer uma leve melhora de início, mas logo se perdeu em uma equipe que atacava de maneira atabalhoada. As entradas de Yony González e Diogo Barbosa pouco proporcionaram a uma equipe que não oferecia perigo.

A expectativa por uma reação mais firme teve como ponto final um novo gol sofrido por via aérea. Em cruzamento de Puma Rodríguez, Vegetti cabeceou e, diante do desentrosamento de Nino e André, Gabriel Pec, de cabeça, definiu.

Com três gols por via aérea e um por erro individual, o Fluminense fica em alerta para as próximas rodadas. Além disso, jogadas que poderiam ser decisivas ficaram pelo caminho no confronto do Nilton Santos. A equipe volta a campo quarta-feira, dia 20, para encarar o Cruzeiro no Maracanã.

#Fluminense #tropeça #erros #não #aproveita #chance #impor #diante #Vasco

Leave a Comment